sábado, 8 de novembro de 2008

Dia 1 - Sopot

Começou hoje o meu fim de semana grande. Estou em Sopot, na costa do báltico num hotal quase à beira mar. Assim que anoitece fica um friozinho lá fora que só apetece ir para casa. Deve ser por isso que pela primeira vez actualizo o meu blog fora de casa. A cidade é pequena e estando sozinha não tenho muito para fazer. No entanto, era exactamente isto que eu procurava. Paz, natureza e o barulho das ondas. O hotel está mesmo em frente à floresta, que por sua vez dá para a praia. As folhas nas árvores são amarelas, laranja e vermelhas. Deu-me um enorme gozo caminhar pela floresta. A cidade é pequena mas engraçada. Tem uma avenida principal pedestre, tal como todas as cidades polacas, rodeada de lojas, restaurantes e bares. Além disso, há imensas barracas e pubs de praia que agora estão fechados e que apenas abrem no verão. Segundo os polacos, no verão isto é o máximo, mas não se pode cá andar com tanta gente. Digamos que é o Algarve cá do sitio.
Mas obviamente que mal saí de casa as minhas aventuras começaram. E para o primeiro dia do fim de semana não está nada mal...
1- Comboio às 6h da manha. Vejo na estação em que plataforma era... n.º 3. Boa, já lá está e tudo. Só la estava esse e um alemão do outro lado, por isso não havia duvida. Entro no comboio, reparo que este parte 2 minutos antes da hora e penso "polacos de um raio, já não bastava partirem sempre no segundo certo agora até já partem antes do tempo". 20 minutos depois aparece a pica. Dou-lhe o bilhete e lá barafusta qualquer coisa em polaco. Tive a sorte de no meu compartimento irem 2 raparigas que falavam inglês. Eu tinha apanhado o comboio errado!!! Como, pergunto eu? Estava na hora certa na plataforma certa. As raparigas respondem que o meu comboio tinha partido exactamente do mesmo local mas 5 minutos depois. Ah... e com tantas plataformas livres têm que por 2 comboios iguais a partir quase à mesma hora do mesmo sitio? É que a estação central de Szczecin deve ser das poucas que não têm ainda paineis a indicar o numero e o destino dos comboios. Cada um adivinha como pode! Lá saí na estação seguinte e tive sorte, pois o MEU comboio também passava nessa estação e foi só esperar os tais 5 minutos para o apanhar.
2- No hotel. Faço o check in e dão-me as indicações para chegar ao meu quarto: vai aí à esquerda e sobe até ao 2º andar. Ok! Viro à esquerda e vejo o elevador. Vou até ao segundo lugar. O numero do meu quarto é o 315, mas naquele andar só via oitentas. Estranho pensei. Conferi que estava no segundo andar e estranhei também ver escrito em 2 portas o nome de médicos. Vejo uma senhora sair de um quarto e no meu polaco arranhado lá pergunto pelo meu quarto. A senhora ri-se e diz-me que isso é do outro lado, porque ali não é um hotel mas um sanatório com doentes mentais internados! Fartei-me de rir e depois lá descobri a outra porta para o "lado" do hotel. Tudo no mesmo edificio! Da janela do quarto vejo ainda instrutores a ensinarem a fazer manobras e motas a fazerem 8's. É sem duvida um edificio multi funcional.
3- 14h, num dos parques no meio da cidade. Passo por 4 gajos e 1 gaja absolutamente bebedos! O caminho estreito obrigava-me a passar por eles. Eles estavam parados a ver qualquer coisa num telemovel e eu passei sem problemas. Mas do lado de la via-se uma cascata girissima e eu parei para tirar uma foto! Erro! Em polaco perguntam-me se não quero que eles fiquem também na foto. Rio-me e a seguir digo em ingles que não falo polaco. Viro as costas e começo a caminhar na frente deles. Um deles corre, atravessa-se à minha frente e sorri... faltavam-lhe os dois dentes da frente! Um sorriso lindo portanto. E aproximando-se perigosamente da minha cara diz "hello". Ainda pensei que me fosse dar um beijo, mas lá me desviei e fuji. É que os bebedos se tentam correr caem ou então desistem logo...

Amanha Gdansk...

5 comentários:

Zana disse...

Ai friend so msm tu...lol
Imagino o lindo sorriso do gajo.

Ana Almeida disse...

Ahaha mto divertido! Há aventuras que só fazem sentido quando vividas no estrangeiro! É o tipo de coisa que apenas acontece quando estamos a tentar perceber um sítio, com línguas e rotinas diferentes! Em que a mais simples situação se torna complicadíssima e às vezes, para não passarmos por atrapalhados, passamos por apressados e aparvalhados! lol

Na altura chateia, mas depois tornam-se em belas aventuras, de fazer rir a plateia toda e chorar de mais! ;)

Apesar de AINDA n me ter acontecido isso (tb pq por aqui as estaçoes sao ligeeeeeeiramente mais evoluídas e têm placards ;) ) já me aconteceu de tudo um pouco, até cair de bicicleta em plena Dam! lol fora as nódoas negras, ficou-me a doer a barriga de tanto rir! heheh

Por isso Sarinha, continua aí a viver as tuas aventuras todas, que assim não me sinto "patêga" no estrangeiro sozinha! lol e vou voltando sempre aqui pq sei que tens belas historias pra partilhar com o pessoal! :)

Beijooo grandeeeee!:*

bruno claudio disse...

as vantagens de ser estrangeiro começam aqui, permitirmo-nos a estas babuseiras/equivocos ingenuos, que me fazem sentir um individuo com mais liberdade. o principal é ancarar estas situaçoes com uma atitude positiva e um sorriso de tranquilidade.

confesso tambem que me parece que tens aptidao para este tipo de aventuras.. divertido.

Sara disse...

Cá para mim não há nada melhor que uma boa aventura!!!

bruno claudio disse...

eu tambem me delicio com uma boa aventura